792 visitantes

Compartilhe:

O que queremos para Joinville?

- Gestão compartilhada através de diálogos com todos os segmentos da sociedade.
- Foco nas necessidades do cidadão.
- Transparência da gestão através da comunicação e informações de forma que não se subestime a capacidade de contribuição da sociedade, unindo forças de cidadãos que pensam na coletividade.
- Gestão consciente das obrigações de um Servidor Público.

Quem é Nelson Coelho?

Nelson Henrique Coelho nascido em 1967, é filho de Nelson Coelho, falecido coronel da reserva da PMSC que iniciou a carreira como cabo e encerrou como coronel.

Em virtude da profissão de seu pai, morou em diversas cidades do Estado (Itajai, Canoinhas, Chapecó, Lages e Tubarão).

Ingressou na primeira turma do Colégio Militar em 1984 e na Academia de Polícia Militar em 1987, formando-se na turma de 1990. Ainda aluno oficial, participou do grupo que propôs a criação da aviação na Polícia Militar de Santa Catarina. Quando formado, escolheu Joinville para trabalhar e iniciar a carreira.

Em 1992, iniciou o curso de piloto na Base Aeronaval de São Pedro da Aldeia, no Rio de Janeiro, onde concluiu seu treinamento em dezembro de 1993. Quando retornou ao Estado, passou a operar nas aeronaves da PM no verão (15 de dezembro até 15 de março). Durante o inverno, foi comandante de pelotão no Batalhão de Operações Especiais, atual BOPE.

Coelho dedicou-se à aviação ao longo de 24 anos, tendo desempenhado, dentro do Batalhão de Aviação da PM, também a função de Chefe de Manutenção. Durante sua trajetória de sucesso, foi designado para missões junto ao IBAMA, comandando aeronave nos Estados de MT, MS, RO, RR, AM, AP, PA, GO e TO.

Em 2001, foi ativada a Base da Aviação em Joinville, cuja viabilidade de instalação teve participação direta de Nelson Coelho.

Em 2005, ele assumiu o comando da Base Aérea em Joinville, onde permaneceu até 2014. Neste período, teve várias conversas com os municípios vizinhos para articular a instalação de infraestruturas para apoio às operações de resgate e de combate ao crime na região.

Neste processo, viabilizou o investimento por parte da Auto Pista Litoral Sul - Arteris no heliponto do Hospital Municipal São José, incluindo dois elevadores hospitalares de acesso, totalizando um investimento de R$1.200.000,00, o que trouxe mais segurança para as operações aéreas da região.

Em 2006, conseguiu, junto ao Comandante Geral da PM e do Governo do Estado, a permanência do helicóptero Águia em Joinville, num momento em que a região estava prestes a perder este relevante serviço.

Durante este período, destacou-se pela capacidade de promover a relação entre os vários setores da região, visando sempre a otimização da operação do Águia.

Das diversas operações de que participou, destaca-se as enchentes no Sul e Norte do Estado, em 1995; as operações na enchente do Morro do Baú, em 2008, que empregaram o maior número de aeronaves de segurança pública das Américas; a operação de busca do padre que desapareceu após voar com balões de gás, após cair e perder comunicação no litoral catarinense; a operação que resultou na morte de dois criminosos e prisão de um terceiro, envolvidos no assassinato de um delegado na cidade de Guaratuba (PR); o transporte de uma receptora de rins que estava no Beto Carreiro e conseguiu chegar a tempo de receber os órgãos doados.

Coelho tem mais de 7 mil horas de vôo, e resgatou aproximadamente 40 mil pessoas.

Em 2014, assumiu o comando do 8º Batalhão de Polícia Militar em Joinville, onde a boa relação com a comunidade e o combate ao crime organizado foram o foco.

Por discordar dos modelos de gestão e expor, inclusive na mídia televisiva, seu posicionamento contrário ao Governo do Estado e a Secretaria de Segurança Pública, foi compulsoriamente transferido para Florianópolis.

Em 2016, foi convidado por Udo Döhler a compor a chapa majoritária como vice-prefeito, cargo que ocupa atualmente. Por discordar dos rumos que tomaram a gestão municipal e o MDB a nível nacional, decidiu, em setembro de 2019, desfiliar-se do partido.
Por sentir-se preparado e com conhecimento dos mais diversos setores da cidade, atualmente é candidato a prefeito de Joinville pelo PATRIOTA.

 

Você doa o valor que quiser. Escolha quanto e a forma de pagamento na próxima etapa.

Uma novidade nestas eleições é a possibilidade de candidatos utilizarem o financiamento coletivo para arrecadação de recursos para a campanha – modalidade aprovada pelo Congresso Nacional na última reforma eleitoral. Pessoas físicas podem fazer doações eleitorais, de forma totalmente legal e seguindo as normas do Tribunal Superior Eleitoral – TSE.

Faça sua doação com tranquilidade, em uma plataforma 100% segura

Site homologado pelo Tribunal Superior Eleitoral
Total conformidade com a Justiça Eleitoral
Seus dados totalmente protegidos
Convite Enviado pela plataforma Essent Jus

Siga minhas redes sociais